Vitória – Gil Vicente (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

Este Sábado há derby minhoto no Estádio do Rei, com o Vitória a receber o Gil Vicente.

Ainda a curar as feridas de mais uma derrota e uma exibição paupérrima, os Branquinhos, precisam de mostrar outra garra e outro querer, e no jogo deste Sábado, vencer é imperioso.

Para o jogo ante os Galos, Rui Vitória, deve fazer alterações na equipa inicial, e até no figurino tático (o losango que vem sendo apresentado, não consegue dar profundidade nas faixas, e torna-se pastoso e
irritante, ver a falta de extremos, que consigam ir á linha de fundo e façam cruzamentos para a área).

Nesse contexto, apostar num 1x4x2x3x1, é a melhor solução, para que o Vitória, possa ter um jogo mais fluído, mais rápido, e com mais profundidade atacante.

Quanto ao 11 a apresentar, no setor defensivo, registar-se-á, o regresso de João Paulo, que após cumprir castigo, vai voltar ao eixo da defesa.

Na zona intermediária, e regressando ao 1x4x2x3x1, a dupla de pivôs em frente á defesa, deve ser constituída por Pedro Mendes e El Adoua, com o marroquino a regressar ao meio-campo, após ter jogado na Marinha Grande como central, onde se cotou como o menos mau da formação Vitoriana.

Na linha atacante, e com a possível titularidade de Paulo Sérgio (neste momento a sua titularidade já se impõe, pois é necessário um ala que dê a tal profundidade que tem faltado á equipa), o sacrificado deve ser Barrientos, pois o médio uruguaio, foi titular nas 2 últimas partidas, mas não esteve em bom plano, mostrando ainda falta de experiência e maturidade em muitos lances das partidas, mais concretamente no da Marinha Grande.

Ainda na frente de ataque, Toscano, deve começar o jogo na direita do ataque (ainda que o brasileiro, não seja um jogador rápido, e que dê muita profundidade na ala, as suas diagonais para o centro do ataque, podem mais uma vez ser a chave do êxito dos Branquinhos).

Na área, é importante que esteja Edgar (vindo buscar jogo às alas, e até ao meio campo, o brasileiro desgasta-se muito, e depois falta alguém no coração da área, para fazer o golo).

Nas Bancadas, ainda que os Vitorianos estejam e com razão, muito frustrados com a atual situação do Clube, é preciso o forte apoio ao longo da partida.

Adversário

O Gil Vicente, tem feito até ao momento, um Campeonato pautado pelo equilíbrio, mantendo-se sempre em lugares tranquilos.

Dos 14 pontos amealhados até então, 4 foram conquistados fora de portas (triunfo em Pacos 1-2, e um empate a 0 em Setúbal).

A nível tático, este Gil Vicente orientado por Paulo Alves, apresenta-se num sistema assente num 1x4x3x3, que pode transformar-se num 1x4x4x2, com o brasileiro Luís Carlos, a deslocar-se da faixa esquerda, para a posição 10, jogando nas costas da dupla constituída por Roberto e Hugo Vieira.

No D.Afonso Henriques, é muito provável que Paulo Alves, aposte num 1x4x3x3 (de claro contra-ataque, onde a equipa gilista é perigosa), retirando Roberto e apostando em Laionel, jogador talhado para as rápidas transições ofensivas.

Na Baliza, joga o brasileiro Adriano (guarda-redes, que tem rubricado boas exibições, ainda que fora dos postes, sinta dificuldades nas saídas aos cruzamentos).

No lado direito da defesa, joga Daniel (lateral seguro a defender, e que não se aventura muito em acções ofensivas).

No eixo da defesa, joga uma dupla brasileira constituída por Halisson (defesa possante, mas que denota muita lentidão), e Cláudio (o experiente central brasileiro, tem bom sentido posicional e boa leitura de jogo, e é caso para dizer, o que andou a fazer tanto tempo nas divisões inferiores)?!

Na esquerda, alinha Júnior Caiçara (lateral moderno, defendendo bem e que sobe muito no terreno, o que dessa forma descompensa o lado esquerdo da defesa).

Na zona intermediária, e em frente à defesa, joga Luís Manuel (médio raçudo e com boa qualidade de passe).

Ainda a completar o miolo do terreno, jogam André Cunha (médio possante e que trabalha muito em prol da equipa), e Richard (médio com boa capacidade técnica, e que dá o toque de classe ao meio campo dos gilistas).

Na frente, jogam nas alas Luis Carlos (falso extremo, que tem bom toque de bola, e capaz de desequilibrar nos últimos 30 metros), e Laionel (extremo brasileiro velocista, e que na última época ao serviço da Académica, marcou 2 golos de belo efeito ao Vitória).

A referência na área, será Hugo Vieira (o móvel avançado, é o jogador mais perigoso dos galos, sendo muito perigoso nas diagonais curtas).

No banco, atenção a Guilherme (o jovem canhoto, tem excelente capacidade técnica), e Roberto (é sempre perigoso com o seu forte jogo aéreo).

O Vitória e o Gil Vicente, voltam a se defrontar oficialmente, 4 anos e meio depois do último jogo oficial, naltura na Liga Vitalis, com o triunfo dos Branquinhos 1-0, golo de Otacílio.

Este Sábado, espera-se que o Vitória, volte a vencer a formação de Barcelos.

Força Vitória e Vitória Sempre!

  Categories: