Vitória-Marítimo (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

O Vitória volta a jogar este Domingo no Estádio do Rei, ao receber o Marítimo, uma das sensações da presente Liga.

Após a “má noite” na última jornada, os Branquinhos, pretendem voltar aos triunfos ante os Insulares, “limpando” assim a má imagem deixada no derby minhoto.

Para o jogo com o Marítimo, e em comparação ao último jogo, Rui Vitória, deve efetuar 3 alterações no 11 inicial.

Na Baliza, e apesar do péssimo jogo que Nilson efectuou, é provável que o brasileiro continue a ser o “dono” das redes Vitorianas, ainda assim, é fulcral, que tenha o “tempo” certo para sair dos postes, e não ficar a meio da “viagem”, o que custou 2 golos na “Pedreira”.

No quarteto defensivo, e com João Paulo (faz uma falta tremenda) ainda lesionado, e Freire (merece uma punição interna exemplar) castigado, resta N’Diaye, que será então a escolha de Rui Vitória, para fazer parelha com Defendi. Espera-se que o central maliano, faça uma partida segura, pois já são muitos os erros que o defesa africano, cometeu ao longo da época e meia que leva de Conquistador ao peito.

Nas laterais, tanto Alex, como Bruno Teles, terão que ter mais amplitude ofensiva, dando assim mais profundidade nos corredores.

No miolo do terreno, Leonel Olímpio (tem que ter mais atenção, nas faltas que comete junto à sua baliza) e João Alves (está a fazer boas exibições, mostrando garra, entrega, e onde só lhe falta subir um pouco mais no terreno, tentando aplicar a forte meia distância que possui), continuarão a fazer um duplo-pivô em frente à defesa.

Na posição 10, é de esperar o regresso de Nuno Assis à Equipa, jogando no lugar de Barrientos, que à imagem do colectivo esteve apagadíssimo na última ronda.

Com Nuno Assis de regresso à titularidade, 3 jogos depois, o meio-campo ofensivo, pode ganhar mais qualidade nas saídas para o ataque, pois o “rato atómico”, desequilibra no último terço do terreno, e “queima” linhas de passe, nos espaços entre-linhas.

Na frente de ataque, é também esperada uma alteração, com Urreta a regressar à faixa direita, jogando no lugar que foi ocupado por Paulo Sérgio, nas duas últimas jornadas.

Na esquerda, continuará Toscano, que passa por um bom momento de forma, tanto a nível exibicional, como físico, e que o torna neste momento uma referência na formação Branquinha.

Na frente de ataque, Edgar continuará a ser a referência na área, e tentará materializar em golo as oportunidades que tiver ao seu dispor.

Nas Bancadas do Estádio do Rei, mais uma vez o 12º jogador será a família Vitoriana, que ajudará os Branquinhos a alcançar mais um triunfo, o que lhe permitirá continuar a lutar por uma vaga europeia.

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

Sistema Tático
A formação orientada por Pedro Martins, joga num sistema tático que se explana num 1x4x3x3 (vai apresentar a Equipa neste formato, sendo a única dúvida, a aposta em Pouga no eixo do ataque, ou então jogando com Danilo Dias a “falso” avançado, entrando Heldon para a faixa direita).

O Marítimo, é uma equipa, que sai muito bem para as transições ofensivas, onde Benachour é muito forte nos passes de ruptura, e nas alas, Danilo Dias e Sami, são muito rápidos e com excelente capacidade técnica no 1×1.

Os Madeirenses, esta ente as Equipas, que melhor futebol pratica, sendo uma formação com grande identidade de jogo (joga simples e de forma eficaz), e que está a ter a melhor época de sempre no seu historial, o que mostra as dificuldades, que o Vitória vai sentir para levar de vencida esta formação Insular.

Pontos Fortes
* A nível defensivo, destaca-se a qualidade da dupla de centrais, constituída por João Guilherme (muito forte no jogo aéreo), e Roberge (excelente sentido posicional, e forte capacidade na antecipação).
* Qualidade da zona intermediária, onde Roberto Sousa (está a fazer a sua melhor época no futebol português, recuperando muitas bolas, e onde tem feito golos na meia distância, fruto do potente remate que possui), Rafael Miranda (é um pêndulo, pois defende e ataca com a mesma regularidade exibicional), e Benachour (o tunisino, desequilibra com a sua capacidade técnica, visão de jogo, e qualidade no último passe), o que faz com que o Marítimo tenha em muitos desafios, o controlo do jogo a meio-campo.
* Qualidade nas faixas, onde Danilo Dias (está a fazer uma época sensacional, onde tem feito muitos golos e assistências), e Sami (muito rápido, e forte nas diagonais da esquerda para zonas interiores).
* É a Equipa da Liga, que tem a melhor saída na transição ofensiva, explorando muito bem as costas das defesas contrárias, e fazendo desta forma muitos golos.

Pontos Fracos
* Nas laterais, Briguel (já não tem muita velocidade), e Luís Olim (é um lateral adaptado, e sem muitas rotinas), são os elos mais fracos da defesa Madeirense, assim sendo o Vitória tem que tentar ao máximo, desequilibrar nos corredores.
* Roberto Sousa e Rafael Miranda, são médios com pouca velocidade, neste contexto, o Vitória tem que ser rápido a pensar e executar o jogo no meio-campo ofensivo.
* Quando se vê a perder, o Marítimo, sente muitas dificuldades, pois não tem um estilo de jogo, que lhe permita jogar em ataque continuado, sentido assim muitas dificuldades, para dar a volta ao desafio.

  Categories: