Vitória – Marítimo (Antevisão)

O Vitória recebe este Sábado, pelas 18 horas no Estádio do Rei o Marítimo, no penúltimo jogo da 1ª volta da Liga.

Após um triunfo a meio da semana para a Taça da Liga, os branquinhos querem agora regressar às vitórias para a Liga, pondo fim a um ciclo de 2 jogos sem vencer (um empate em Barcelos e uma derrota em Paços de Ferreira).

Ainda assim este Sábado, espera-se um desafio complicado para o Vitória, pois os insulares são sempre um opositor muito complicado de bater, prova disso é que em 31 encontros disputados na Cidade-Berço em jogos para o escalão maior do futebol português, o Vitória venceu por 13 vezes, empatou em 11 ocasiões, e foi derrotado em 7 partidas.

Porém, os Conquistadores jogam em casa, neste contexto tem que assumir mais as rédeas de jogo, e ir à procura dos 3 pontos, o que lhe possibilita continuar nos lugares cimeiros da tabela classificativa, e ganhar também um “tónico extra” para a partida da próxima 4ª feira para a Taça de Portugal.

A partida deste Sábado, terá a arbitragem a cargo de Paulo Baptista, que esta época já dirigiu uma partida do Vitória em casa, onde infelizmente os branquinhos saíram derrotados.

Nas Bancadas, são esperados 12 mil Vitorianos, e o apoio de todos é essencial, pois toda a massa associativa a puxar pelos branquinhos, os 3 pontos ficarão mais perto de ser alcançados.

Por isso, todos ao Estádio apoiar o Vitória!

Questão Técnico -Tática

No jogo frente à Equipa madeirense, Rui Vitória relativamente ao jogo frente à Naval, deve apenas fazer uma alteração no 11, fazendo regressar Marco Matias ao ataque em detrimento de João Ribeiro.

Assim, no setor defensivo, a dupla constituída por Paulo Oliveira e Freire, vai-se manter no eixo da defesa, pois esta dupla tem estado em bom plano, ainda que ambos precisem retificar o jogo aéreo (no jogo de Barcelos, nos duelos individuais pelo “ar”, ambos sentiram muitas dificuldades em “parar” Yero, nesta particularidade é necessário aperfeiçoar este detalhe, que é muito importante num central).

Nas laterais, vão-se manter Kanú (fez uma exibição regular no último jogo, mas a nível ofensivo, tem que tentar mais vezes a combinação com Ricardo, e melhorar o capitulo do cruzamento) à direita, e David Addy (tem estado em bom plano, tanto a nível defensivo, como ofensivo, pois tenta sempre dar profundidade) no lado canhoto.

Na zona intermediária, não haverão alterações, com Leonel Olímpio (está num momento muito bom, recuperando imensas bolas, e sendo um “tampão” no miolo do terreno) a manter-se em frente à defesa, Tiago Rodrigues (não tem a mesma consistência defensiva do André, mas entrou muito bem na dinâmica de jogo da equipa, e é uma mais-valia nas bolas paradas, pois bate muito bem livres) a jogar como médio de transição.

Já Jean Barrientos (está a fazer exibições muito positivas, dando muitas linhas de passe para os companheiros da frente, para além de estar muito confiante nos duelos individuais, o que a continuar assim, é muito importante para o coletivo, pois tem desequilibrado muito no último terço do terreno).
Agora sim o uruguaio tem mostrando constância exibicional, e voltará a assumir a batuta de jogo da Equipa.

Na frente de ataque, Ricardo é indiscutível, pois o jovem extremo, tem feito exibições de grande qualidade, e é importante, que continue a desequibrar nos corredores, e agite o ataque branquinho.
Na outra faixa, falta saber, se Rui Vitória vai fazer regressar Marco Matias á titularidade, ou se mantém João Ribeiro como titular?

Se com Marco Matias, o ataque ganha mais velocidade e conta com um jogador forte no 1×1 e que sofre muitas faltas, com João Ribeiro ao seu melhor nível, a Equipa ganha um jogador com maior amplitude ofensiva, pois tanto pode jogar nas faixas, como na posição 10, fazendo algumas trocas com Ricardo e Barrientos, havendo maior mobilidade no espaço entre-linhas.

Na frente de ataque, é garantido que vai continuar Baldé, com o avançado do Vitória seguramente a continuar a trabalhar muito para a Equipa, e à espera que as oportunidades surjam para finalizar.

O Vitória esse, tem que entrar em jogo confiante, fazendo a boa circulação de bola que tem efetuado nos últimos jogos (colocando assim o adversário a correr atrás da bola, e a abrir espaços atrás), e imprimindo velocidade nos corredores (tem que haver profundidade e largura no seu jogo), pois com isto as oportunidades de golo vão surgir, e aí só terão que ser materializadas em golo.

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

O Técnico Pedro Martins, coloca a sua formação a jogar numa variante tática que assenta num 1x4x3x3 (jogará como quase sempre, com um triângulo invertido no miolo, e é uma Equipa com bons princípios de jogo, tentando jogar um futebol curto e apoiado).

Este Marítimo esta época, está mais débil do que o da temporada transata, onde os insulares, eram uma Equipa muito forte nas transições ofensivas (Héldon, Sami e Babá era um trio de respeito).

Ainda assim, os rubro-verdes, já venceram por duas vezes fora, em Vila do Conde e Moreira de Cónegos, e empataram em Paços de Ferreira, mostrando serem uma formação que tem conseguido melhores resultados fora de portas, do que no seu próprio reduto.

Pontos Fortes
* No setor defensivo, o destaque vai para Roberge, pois o francês é um central de qualidade, tendo um excelente sentido posicional, e sendo forte na marcação e no jogo aéreo. Na esquerda, Rúben Ferreira, gosta de subir muito no terreno, e cruza muito bem para a área.
* No miolo do terreno, Rodrigo António é um jogador muito voluntarioso, já David Simão (não é rápido em termos de velocidade física, mas é rápido a pensar o jogo da sua Equipa) é o cérebro da Equipa, pois o canhoto é um médio de boa capacidade de passe, boa visão de jogo, e bom remate de meia distância.
* Na linha atacante, Sami (é um velocista e é forte no 1×1 e nas diagonais), Danilo Dias (muito virtuosista, forte a decidir o último passe, e também perigoso nas diagonais da direita para o centro) jogam nas alas, e na frente estará Fidélis (surge bem nas costas dos centrais, tem um bom jogo aéreo, e remata muito com ambos os pés).
* Nas bolas paradas ofensivas, David Simão e Danilo Dias batem as bolas paradas, e na área, Márcio Rosário e Rodrigo António, atacam o 1º poste, Roberge a zona central, e Fidélis o 2º poste.

Pontos Fracos
* Na defesa, Márcio Rosário (é um central bastante lento e com débil jogo de cintura), e João Diogo (é um lateral que tem dificuldades em parar um extremo veloz, pois não é rápido, e Marco Matias pode-lhe causar muitos problemas), são os elos mais fracos da defensiva madeirense. Ainda no setor defensivo, e com a profundidade que Rúben Ferreira dá no seu corredor, Roberge vai muitas vezes fazer a dobra ao seu colega, mas abre espaços na zona central da defesa, situação que o Vitória também pode explorar.
* A meio-campo, sem puder contar com o pêndulo Rafael Miranda, e ainda sem João Luíz e Olberdam, vai jogar o jovem habitualmente alinha na Equipa B, no caso o Sérgio Marakis, uma alteração que pode fazer com que o miolo do terreno, perca consistência, pois principalmente a baixa de Rafael Miranda, que é um jogador de equilíbrios (David Simão por exemplo, não gosta de defender, e o meio-campo pode ficar assim “partido”) e de boa qualidade de passe, vai fazer muita falta ao conjunto de Pedro Martins.
* Na linha atacante, o Marítimo é a Equipa a par do Sporting com menos golos marcados, o que mostra que a Equipa está a ter dificuldades em finalizar, espera-se que continue assim no jogo deste Sábado.
* Nas bolas paradas defensivas, o conjunto Madeirense, defende com todos os jogadores, e a zona onde tem sentido muitas mais dificuldades é o 2º poste, pois já sofreu alguns golos neste espaço da sua área.

  Categories: