Vitória – Moura (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

O Vitória inicia este Domingo, a participação na prova Rainha do futebol Português.
Depois de na última época, os branquinhos terem chegado à final no Jamor, as aspirações na presente época, passam por chegar novamente à final, mas desta vez levantado a Taça no Estádio Nacional.

Pela frente, nesta 3ª eliminatória, os Conquistadores medem forças com os Alentejanos do Moura, formação que milita na 2ª Divisão Nacional Zona Sul, e que ainda não conheceu o amargo sabor da derrota esta época.

Nesse contexto, o Vitória, terá que respeitar ao máximo o seu adversário, e jogar nos limites, pois estes jogos da Taça, são férteis em surpresas (o Vitória, no seu historial já foi eliminado pela Sanjoanense, Amora, Vasco da Gama de Sines, Louletano, Moreirense e Mafra), dado que as ditas equipas pequenas, agigantam-se ao jogar com equipas do principal escalão do futebol luso.

Para a partida frente ao Moura, o Técnico Vitoriano Rui Vitória, deve dar oportunidade a jogadores que tem sido menos utilizados esta época, casos do guarda-redes Douglas de Jesus, Tony, Targino e o Argelino Soudani. Também N’Diaye e Anderson Santana podem voltar à equipa, eles que já foram bastante utilizados na presente época.

Ainda assim, com a actual situação do Vitória, seria mais pertinente, que Rui Vitória testasse neste jogo, um onze no qual pudesse ganhar uma equipa para as próximas partidas da Liga.

Muitas alterações e experiências nesta partida, pode não ser benéfico para o futuro da formação Vitoriana. Pois jogando para a semana em Olhão, e mudando novamente grande parte do 11, volta-se de novo à estaca 0, no que a rotinas e processos de jogo implementadas neste interregno de competição diz respeito.

Assim sendo, com o Moura, Rui Vitória, pode ou podia, testar novamente a dupla de centrais constituída por El Adoua e João Paulo, de forma a ganhar maior entrosamento.

No meio campo, testar um trio constituído por Pedro Mendes (a sua experiência e qualidade é muito importante neste momento menos bom), Barrientos e Nuno Assis, a transportar jogo para o ataque, pode ser uma solução benéfica para a Equipa, e que trará maior clarividência e virtuosismo ao miolo do terreno.

Na frente de ataque, mais concretamente nas alas, Faouzi e Toscano num mau momento de forma (mas a merecer injustamente muitas oportunidades por Rui Vitória), a aposta ou apostas em Targino (precisa de jogar mais) ou até Saucedo, já são justificadas.

Jogar com o melhor onze, e ganhar a partida (de preferência com uma goleada) de forma a adquirir confiança, é o melhor que pode acontecer neste momento aos Branquinhos.

Força Vitória e Vitória Sempre!

 

  Categories: