Vitória-Nacional (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

O Vitória prossegue esta 6ª feira, a sua campanha na Liga, com a recepção no Estádio do Rei ao Nacional da Madeira.

Após a derrota na última jornada, os Branquinhos, pretendem regressar aos triunfos, de forma a continuarem nos lugares cimeiros, e tentar almejar ainda um lugar europeu.

Frente a formação Madeirense, se o Vitória, mantiver a qualidade de jogo apresentada frente ao Porto (boa circulação de bola, e transições ofensivas bem conseguidas), o triunfo ficará mais perto de ser alcançado.
Para a partida com os Insulares, e comparativamente ao jogo no Dragão (a exibição como já se disse, foi personalizada), Rui Vitória, deve fazer duas alterações no 11, com Bruno Teles e Faouzi, a serem as novidades na Equipa Vitoriana.

Assim no setor defensivo, haverá a inclusão de Bruno Teles no lugar de Anderson Santana (continua a defender mal, e num defesa lateral, em 1º lugar, tem que se defender bem).

Na zona intermediária, Leonel Olímpio, tem estado bem na posição 6, (dando músculo, força e poder de choque ao meio-campo), e neste momento, tem feito por merecer a titularidade, o que acontecerá novamente, pois Pedro Mendes, que podia aspirar a titularidade, está novamente lesionado.

Ainda no miolo do terreno, El Adoua, continuará na posição 8, onde tem jogado bem, mas que a partir de agora, contará com um “opositor”, o argentino Jorge Molina, um médio canhoto que se espera que traga qualidade à Equipa, e que não seja apenas mais um!

Nas alas, Paulo Sérgio (precisa de ser mais rápido a decidir, e não pode ter tanta indecisão na hora do remate), tem que ser mais activo na partida, tentando chegar mais vezes à linha de fundo, situação que pouco se tem verificado, e que podia ser mais usual, pois Paulo Sérgio é veloz, e tem que aproveitar mais essa virtude.

A aposta no marroquino Faouzi (entrou muito bem no Dragão, mexendo com o jogo Vitoriano), podia ser a melhor solução, para jogar na ala direita.

Já Marcelo Toscano, continua a ser um jogador, com uma grande intermitência exibicional, e há jogos, em que passa muito tempo ao lado do jogo (a partida no Dragão é exemplo disso mesmo). O Vitória, necessita do Marcelo Toscano, dos jogos frente ao Nacional, Setúbal e Académica da presente época, onde se viram grandes exibições do brasileiro.

Na frente de ataque, Edgar, vai voltar aos golos, e ajudar o Vitória a conseguir mais um triunfo na Liga!
Para este jogo, é importante que o Estádio do Rei, apresente uma excelente moldura humana, pois já é tempo (apesar das sucessivas “asneiras” da Direcção), de voltarmos a ver um grande ambiente na casa dos Vitorianos, e demonstrarmos mais uma vez, que apesar de todas as dificuldades “Somos Únicos”!

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

Sistema Tático
A equipa orientada por Pedro Caixinha (nos últimos 3 jogos conseguiu 2 triunfos e 1 empate, o que lhe permitiu subir ao 7º lugar), deve apresentar-se no Estádio do Rei num sistema tático assente num 1x4x2x3x1 (meio-campo reforçado, e apenas Róndon na área), ao invés do 1x4x4x2 (com Anselmo e Róndon na frente), que apresentou na última jornada em casa frente ao Feirense.

Assim frente ao Vitória, e com o regresso do central Luís Neto, após castigo, é de prever, que Moreno (jogou a central na última partida, passe a jogar no meio-campo), fazendo um duplo pivot com Andrés Madrid.

Seguramente que no Estádio do Rei, o Nacional vai apostar nas rápidas transições ofensivas, pois conta com jogadores de qualidade no meio-campo ofensivo, e tentar aproveitar possíveis erros do Vitória.

Pontos Fortes
* Conta com uma boa zona intermediária, onde possui jogadores experientes, casos de Madrid e Moreno (regressou em grande ao futebol português, ao apontar um golo de belo efeito), e jogadores virtuosistas, como Skolnic (excelente pé esquerdo, e bom executante de bolas paradas), ou Pecknic (vai começar no banco de suplentes, mas é um médio ofensivo de bom recorte técnico).

* Qualidade nas alas, onde Candeias, é muito veloz e forte no 1×1, e Diego Barcelos, brasileiro com excelente capacidade técnica, e capaz de desequilibrar no último terço do terreno.

* A Equipa Insular esta época, tem conseguido melhores resultados fora (o triunfo à 3 semanas em Barcelos 0-3, e o empate a 2 golos em Alvalade para a Taça de Portugal são exemplos concretos) do que na Choupana, o que mostra, a atenção que o Vitória terá que ter com este Nacional.

Pontos Fracos
* Defesa vulnerável, onde a Equipa tem sofrido muitos golos esta época (26), apesar de contar com bons defesas, casos de Luís Neto (defesa raçudo) e Danielson (forte no jogo aéreo, mas com pouca velocidade).

* Debilidade nas laterais, onde Claudemir á direita (defensivamente dá bastantes espaços nas costas), tem feito uma época irregular, e na esquerda, onde a Equipa, sentiu muitas dificuldades (com a falta de qualidade de Stojanovic, e as adaptações fracassadas de João Aurélio, e Márcio Madeira), mas que agora conta com o reforço brasileiro Marçal, um lateral ex Torreense.

* Mário Róndon, tem feito uma época apagada, pois tem marcado poucos golos, situação que tem prejudicado a produtividade ofensiva da Equipa, que também está neste momento privada de Mateus (jogador rápido, e forte nas transições ofensivas), e que está na Taça das Nações Africanas ao serviço de Angola.

  Categories: