Vitória – Nacional (Antevisão)

 

O Vitória volta este Sábado a jogar no Estádio do Rei, recebendo o Nacional da Madeira, que é agora de novo orientado, pelo Vimaranense Manuel Machado.

Frente a frente, estarão duas Equipas que vem de desaires, o Vitória na Luz, e os Insulares em casa frente ao Beira-Mar.

É de prever uma Partida equilibrada, pois pese embora o Nacional estar em último, mostra ter um Plantel de qualidade, e que a qualquer momento, pode dar uma “sapatada” na crise.

Ainda assim, e jogando em casa, diante dos Vitorianos, os Conquistadores tem que assumir as rédeas do Jogo, indo à procura de mais um Triunfo, desiderato que lhe fará continuar nos lugares cimeiros da tabela classificativa.

No total de confrontos entre as duas formações, e em 13 Jogos disputados na Cidade-Berço, o Vitória venceu por 7 vezes, empatou em 5 ocasiões, e perdeu por uma vez em 2008/09, por 0-2, curiosamente com Manuel Machado como Timoneiro dos Insulares.

Nas Bancadas do Estádio de todos os Vitorianos, é esperada uma casa a rondar os 13 Mil Espetadores, que serão mais uma vez o 12º Jogador. Com o nosso apoio, torna-se mais fácil vencer o adversário.

A arbitragem essa, estará a cargo de Manuel Mota, que à imagem da época transata, volta a dirigir um Vitória-Nacional. Na época passada, fez uma boa arbitragem, espera-se que volte este Sábado a estar em bom plano.

Questão Técnico -Tática

Para o Jogo frente aos Madeirenses, Rui Vitória fará apenas uma alteração no 11, isto em comparação ao jogo do passado Sábado, Jogo onde o Vitória por apenas 3 vezes conseguiu sair para o contra-golpe, não sendo eficaz naquela bola do Toscano, que poderia mudar a história do Jogo.

Assim, frente ao Nacional o Vitória voltará a contar com uma referência na área, no caso Soudani. Para o Argelino voltar à Equipa, sairá o médio André, voltando Marcelo Toscano a assumir a batuta do jogo Vitoriano, ainda que em vários momentos do desafio, possa estar em “cunha” na frente com Soudani, passando João Ribeiro para a posição 10, e Addy fazendo todo o corredor esquerdo.

No resto, não devem haver mais alterações, ainda assim urge que no setor defensivo, os laterais retifiquem “posições”, pois Alex e Addy, estão a dar muitos espaços nas costas, e estão a fechar mal a zona central. Principalmente na direita, Alex, nos dois últimos Jogos, cometeu vários erros (tem que partir com “agressividade” e convicção nos duelos com os extremos adversários), que “custaram” golos à Equipa.

A continuar a cometer estes erros, Rui Vitória deve dar a oportunidade ao lateral da Equipa B Kanú, que tem mostrado ser um lateral moderno (pese embora ser uma adaptação), e que anseia por uma oportunidade.

Na zona intermediária, é indesmentível, que Leonel Olímpio tem estado em bom plano (tem “apenas” que entregar melhor a bola aos colegas), e merece a titularidade, pois André não mostra estar num bom momento de forma, alheando-se muito das partidas (é necessário que assuma mais o Jogo do Vitória a meio-campo, fazendo o transporte de bola, e arrisque mais no passe de ruptura). Ainda assim, André pode ser muito importante no desenrolar da partida, pois ainda à 2 semanas no jogo frente ao Vitória de Setúbal esteve no lance do penalty que deu o triunfo aos Branquinhos.

Ao lado de Leonel Olímpio, estará El Adoua, que é “imprescindível” no meio-campo Vitoriano (as suas compensações ao Addy são muito importantes).

Nas alas, Ricardo, continua a ter que vir muito atrás, na ajuda ao Alex, e depois com esse desgaste, já não tem a melhor frescura física e discernimento nas ações ofensivas. A velocidade e capacidade técnica do Ricardo, tem que ser melhor aproveitadas, tanto por Rui Vitória e pela Equipa, pois Ricardo, é um jogador que nas transições ofensivas pode decidir uma partida, e neste contexto tem que ter mais “liberdade” para as ações ofensivas.

Já João Ribeiro, tem estado bem, e as suas diagonais para a zona central do terreno, desorganizam uma defesa contrária. Falta-lhe apenas dar mais profundidade nos corredores, pois “arrisca” pouco no 1×1 com os laterais contrários, e pode desequilibrar mais nas faixas, pois tem uma boa capacidade técnica.

Já Marcelo Toscano com o regresso à posição 10, permite-lhe ter mais bola (pode apostar mais no remate de meia distância), e tentar o desequilíbrio desde trás.

Vai ser importante o seu apoio junto do Soudani, pois o Argelino vai ser muito marcado pelos defesas do Nacional, e é necessário fazer “tabelas” e triangulações no último reduto insular, para que assim surjam espaços e as consequentes oportunidades de golo.

Os Conquistadores, terão que fazer um jogo inteligente, fazendo uma boa circulação de bola, e jogando mais pelos flancos, pois será primordial dar profundidade e largura nos corredores. Na área, nos cruzamentos que surgirão, Soudani e principalmente Toscano (terá então que aparecer mais para finalizar), tem que ser lestos a aparecer no espaço de forma a concretizar em golo.

O apoio dos Vitorianos, como já foi dito é fulcral, pois o Nacional vai querer “enervar” a Equipa do Vitória, e nós adeptos teremos que ser pacientes, e incentivar e “empurrar” a Equipa para o triunfo.
Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

A equipa de Manuel Machado (Treinador muito pragmático, calculista, e que conhece bem o Vitória), deve apresentar-se no Estádio do Rei, a jogar num 1x4x4x2 (com um meio-campo povoado, com Moreno, Claudemir, Revson e Diego Barcelos na posição 10, e Mateus e Rondón na frente de ataque). Ainda assim, e por vezes, a Equipa pode estar a jogar num “cínico” 5x3x2, com Manuel da Costa, Mexer e Revson como Centrais, e João Aurélio e Marçal a fechar nas laterais. No meio-campo, continuariam Moreno, Claudemir e Diego Barcellos, e na frente Mateus a deambular, e Róndon fixo na área.

O objetivo do Nacional, passa por defender muito bem, e sair rápido nas transições ofensivas, tentando dessa forma surpreender o Vitória. O único triunfo Madeirense na Liga, foi em Olhão, o que mostra que esta Equipa tem jogado melhor fora de portas.

Pontos Fortes
* Na baliza, conta com um bom guarda-redes, o brasileiro Gottardi, que é forte a sair aos cruzamentos, e que joga bem com os pés.
* No eixo da defesa, Manuel da Costa é forte no jogo aéreo, e Mexer é um defesa veloz. Nas laterais, João Aurélio e Marçal, são laterais, que gostam de subir no terreno, dando alguma profundidade nos corredores.
* Na zona intermediária, Moreno (é o pêndulo), Claudemir (boa adaptação a médio de transição) e o virtuoso e tecnicista Diego Barcellos, formam um trio de qualidade.
* Na frente de ataque, Mateus (é um velocista) é um jogador talhado para jogar em rápidas transições ofensivas, e Róndon é um Avançado móvel, surge bem o espaço vazio, e que faz sempre uma dezena de golos por época.
* Nas bolas paradas ofensivas, Claudemir bate bem os livres e cantos, e Manuel da Costa (aparece no 2º poste), Revson (surge na zona do
penalty) e Róndon (aparece quase sempre ao 1º poste) são fortes no jogo aéreo.
* No banco, há boas opções, como Skolnic (pés de veludo), Candeias (muito rápido), Edgar Costa (tecnicista) e também o possante Keita.

Pontos Fracos
* No setor defensivo, Manuel da Costa e Mexer, mostram ainda falta de sincronização, e o central português é débil na velocidade, e o moçambicano no sentido posicional, o que traz instabilidade ao setor defensivo (já sofreu 19 golos, um registo muito negativo).
* Nas laterais, João Aurélio, nunca foi nem será um bom lateral, pois dá muitos espaços nas costas, e apesar de já ter jogado muitas vezes como lateral, não ganhou ainda essas rotinas. Já Marçal, também a nível defensivo, sente dificuldades em fechar por dentro, e tem dificuldades quando se depara com alas rápidas e tecnicistas, pois é um lateral raçudo mas lento.
* Na zona intermediária, Moreno, tem sido o único elemento mais defensivo, e tem sido a falta de outro médio que o ajude a “estancar” o jogo da Equipa adversária. Se Moreno, voltar a jogar sem acompanhamento a seu lado (Claudemir não é um médio de tracção atrás), o Vitória terá com menor dificuldade o controlo do jogo a meio-campo.
* Nas bolas paradas defensivas, o Nacional, sente muitas dificuldades, com as bolas que são colocadas na zona do penalty (dá espaços, e é pouco agressiva no atacar da bola), pois já sofreu vários golos, nessa zona do terreno.
* A equipa Madeirense, mostra não estar bem a nível psicológico, e o Vitória pode também “jogar” com este detalhe, pois há bastante ansiedade na Equipa do Nacional.

  Categories: