Vitória – Naval (Antevisão)

O Vitória joga esta 4ª feira pelas 18 horas, frente à Naval, a última jornada desta fase da Taça da Liga.
Frente à Equipa da Figueira da Foz, os branquinhos jogam a “cartada decisiva” no Grupo B da competição.

Os Conquistadores terão que vencer o jogo desta 4ª feira, e esperar por 2 resultados no outro jogo do grupo, no caso um empate ou um triunfo do Beira-Mar, ainda que neste último o Vitória vença a Naval pelo mesmo resultado que os Aveirenses possam vencer na Pedreira.

A esperança continua portanto “intacta” pois só amanhã se saberá qual a Equipa que chegará às meias-finais da prova, que se disputará em finais de Fevereiro.

Ainda é possível a passagem á próxima fase, neste contexto o Vitória tem que vencer a sua partida, e esperar no final do encontro, que o outro jogo lhe permita a continuidade na prova.

Pela frente esta 4ª feira, os branquinhos terão uma formação que tem feito uma bela recuperação na 2ª Liga, e que são orientados por Álvaro Magalhães, um Técnico muito experiente, contando também com jogadores jovens de qualidade, como são os casos de Tikito, João Martins, Paulo Regula, João Pedro e André Carvalhas.

A partida, será arbitrada por Pedro Proença, para muitos o melhor árbitro português na atualidade.

No jogo frente aos Figueirenses, Rui Vitória poderá fazer 2 alterações no 11 relativamente à última partida, sendo que uma será forçada por lesão do André.

Assim, e no setor defensivo, Rui Vitória pode testar mais uma dupla de centrais, mais concretamente Vítor Bastos e Freire, que podem fazer o primeiro jogo juntos, assimilando rotinas e conhecendo melhor a forma de jogar de cada um, pois este mês ou mesmo até final da época, esta dupla pode ter que jogar, e pode já esta 4ª feira começar a ganhar entrosamento.

Na zona intermediária, e com André lesionado, vai entrar no 11 Tiago Rodrigues, com o jovem médio do Vitória a transportar bola para zonas ofensivas, e começando a pautar o jogo da Equipa no miolo do terreno, ficando o Vitória com Tiago Rodrigues e Barrientos a pegar a batuta de jogo, ainda que o português tenha melhor qualidade no passe longo, e o uruguaio seja um jogador mais de “rasgo” e de melhor
controlo de bola.

Uma outra possibilidade, passa por jogar um duplo-pivô, com Leonel Olímpio e o costa-marfinense Siaka Bamba, jogando o Vitória com um miolo mais de combate e músculo, e de menos virtuosismo e qualidade técnica.

Na frente de ataque, Rui Vitória deve manter o mesmo trio, a não ser que coloque João Ribeiro (tem que mudar rapidamente a sua forma de jogar, pois para jogar com a atitude do passado Sábado, mostra não querer jogar com a camisola branca) no 11, e retire Marco Matias, fazendo a rotatividade na zona ofensiva da Equipa.

De resto, o Técnico Vitoriano vai manter o mesmo 11 que tem jogado nos últimos desafios, e que tem apresentado um futebol alegre e de qualidade, e onde só está a faltar finalizar as várias oportunidades que tem surgido.

Que no jogo frente á Naval, o Vitória continue a jogar um bom futebol, mas que possa marcar golos, fazendo com que volte aos triunfos, e possa ter a esperança de ainda chegar às meias-finais da prova.

Força Vitória e Vitória Sempre!

  Categories: