Vitória-Olhanense (Antevisão)

Questão Técnico-Tática

O Vitória joga este Domingo, frente à Olhanense, em jogo a contar para a 23ª jornada da Liga. A atravessar um momento crítico, a nível financeiro, os jogadores Vitorianos, pretenderão dentro de campo, alcançar mais um triunfo, cimentado dessa forma o 6º lugar na presente Liga.

Após mais um “colapso”, fora de portas, os Branquinhos, pretendem então voltar aos triunfos no Estádio do Rei, e proporcionar uma alegria aos Vitorianos!

Em relação ao jogo de Alvalade, onde o Vitória fez um péssimo jogo, não mostrando garra, determinação, e abstendo-se totalmente do desafio, Rui Vitória não deve fazer grandes alterações no 11, a única mudança, deve acontecer no lado esquerdo da defesa.

Assim no quarteto defensivo, Bruno Teles (tem cometido vários erros defensivos, mostrando pouca concentração), deve dar o lugar a Anderson Santana, que pode voltar à titularidade, e trazer mais “intensidade” ao lado canhoto.

No restante do setor, não são esperadas alterações, mas Alex (cometeu muitos erros na abordagem a lances, que teria que ter mais agressividade, não deixando os seus opositores, ter via aberta para fazer golo, o último golo de Jeffrén é exemplo disso mesmo), N´Diaye e Defendi, tem que recuperar índices, que mostraram no último jogo em casa, ante o Marítimo.

No miolo do terreno, Leonel Olímpio e João Alves, deram muito espaço aos médios do Sporting, dando muito tempo, para estes, pensarem o jogo leonino. É necessário então, que o duplo-pivô Vitoriano, seja mais “intenso” e tenha mais bola no jogo frente à Olhanense, de forma a que o Vitória, tenha o domínio da partida.

Na posição 10, Nuno Assis, esteve muito distante de Edgar, e nunca conseguiu pegar no jogo Vitoriano, e fruto desse distanciamento, o rato atómico, esteve “ausente” da partida, passando completamente ao lado do jogo. É necessário, que o 10 Vitoriano, volte a “velha forma”, e de o toque de magia ao último terço do jogo dos Branquinhos.

Frente à formação de Olhão, João Alves, Olímpio e Nuno Assis, devem então, continuar no 11, mas não será de descurar, a possibilidade, de Rui Vitória, apostar de início em Barrientos, recuando Nuno Assis, de forma a iniciar a 1ª fase de transição ofensiva, e apostando no jovem uruguaio na posição 10, ganhando o meio-campo, mais pendor ofensivo, e qualidade técnica.

Na frente de ataque, Rui Vitória, deve apostar novamente, no trio que alinhou nas duas últimas partidas.
Assim, Urreta continuará à direita, mas precisa de mostrar mais “jogo de equipa”, pois tem estado muito individualista.

Na esquerda, Marcelo Toscano, tem que tentar mais as diagonais para o centro do ataque, aproveitando dessa forma, as segundas bolas, que Edgar divide com os centrais adversários.

A referência na área, será mais uma vez Edgar, que precisa de mais apoio, pois o brasileiro “arrasta” sempre defesas consigo, e havendo mais apoio no centro da área, o Vitória pode fazer golos.

Para esta partida, será fulcral, que o Vitória ganhe a luta a meio-campo, e faça uma boa circulação de bola, se isso acontecer, os Branquinhos irão levar de vencida a formação Algarvia.

Nas Bancadas, e mesmo após mais uma derrota difícil de digerir, os Vitorianos, mostrarão mais uma vez, que a Paixão pelo Vitória, continua sempre intacta e que Aconteça o que Acontecer, somos Vitória até Morrer!

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

Sistema Tático
A Olhanense, orientada por Sérgio Conceição, apresentar-se-á no Estádio do Rei, com um dispositivo tático, assente num 1x4x2x3x1, jogando em contra-ataque, e tentando aproveitar o erro do Vitória.
Após a entrada de Sérgio Conceição, a formação Algarvia, tem feito bons resultados, e fora de portas, conseguiu amealhar 2 triunfos, em Setúbal e Leiria.
A formação de Olhão, tem privilegiado os bons espetáculos, e os resultados, comprovam que há sempre muita emoção e vários golos nos seus desafios.

Pontos Fortes
* Qualidade do duplo-pivô a meio campo, pois Fernando Alexandre, recupera muitas bolas, e o brasileiro Cauê, é um “poço de força”, e tem feito uma época de grande nível, mostrando também muita apetência para os golos (já fez 3 na Liga).
* Nas alas, é necessária muita atenção, à velocidade e capacidade técnica de Salvador Agra, e às diagonais de Wilson Eduardo, que são duas setas apontadas á baliza de Nilson.
* O Avançado Dady, voltou no último jogo aos golos, e pode ter readquirido a veia goleadora, que mostrou no passado no Belenenses.
* Nas bolas paradas ofensivas, há que ter atenção ao jogo aéreo dos Algarvios, pois conta com jogadores altos, e fortes nesse detalhe, casos de Maurício, André Pinto, Mexer, Fernando Alexandre, Cauê, e Dady.
.

Pontos Fracos
* A dupla de centrais constituída por André Pinto e Maurício, é débil na velocidade, e tem consentido muitos golos, o último jogo, é sinal disso mesmo.
* O brasileiro Ismaily, joga como lateral esquerdo, mas mostra poucas rotinas nessa posição (é um extremo de raíz), mostrando pouca aptidão a nível defensivo, dando muitos espaços nas costas, e fechando mal a zona central.
* No lado direito da defesa,o Moçambicano Mexer, dá consistência defensiva, mas é um jogador ainda “ingénuo”, cometendo vários erros, quando apanha um extremo com capacidade técnica e velocidade.
* Na zona intermediária, falta um jogador, que pense mais rápido o jogo, situação que Rui Duarte (já veterano), não consegue fazer.

  Categories: