Vitória perde frente à Juventude Pacense

Era um jogo que já se esperava que fosse complicado, devido às características das equipas de Paços de Ferreira (muito boas a defender e sempre à espera do erro adversário). Neste jogo já estiveram quase todas as jogadoras disponíveis, com excepção de duas atletas por lesão e de uma atleta que sofreu um acidente rodoviário a caminho do jogo (sem danos pessoais).

A equipa vimaranense até entrou bem na frente embora apenas por um ou dois pontos, até que a partir do ponto 16-16 as pacenses tomaram a liderança de forma definitiva e sem resposta capaz das atletas vitorianas que pareciam entrar em desespero perante o estilo de jogo adversário, que mesmo com as várias mudanças do técnico Norival e da boa entrada da libero Sónia no jogo não conseguiram evitar perder o primeiro set por 19-25.

No segundo set a história foi semelhante, mas foi a equipa vitoriana, (já com as boas entradas da Patrícia Teixeira após lesão de Raquel Costa e da ainda júnior Catarina) a fugir no marcador até aos 24-21, no entanto as jovens do Pacense que sempre pareceu uma equipa acessível conseguiram levar o jogo para as vantagens e vencer por 29-31.

Num jogo onde eram esperados os três pontos era o Juventude a garantir um com a vitória dos dois primeiros sets e num terceiro set semelhante ao segundo a quase fazer a surpresa total, mas desta feita com a equipa vimaranense a triunfar nas vantagens logo aos 26-24.

Ao contrário do jogo anterior, a equipa não errou muitos serviços nem muitas recepções ao longo do jogo, mas estava muito difícil de realizar o trabalho de bloco-defesa da melhor forma.

O quarto set já foi o que se tinha esperado do jogo, com domínio completo da equipa da casa e um triunfo por 25-21.

Assim toda gente esperava que se repetisse a atitude na negra, no entanto, foi um último set para esquecer, com o resultado (5-15) a ser demonstrativo da muito pouca produtividade de todo o conjunto vitoriano neste derradeiro set.

Foi uma derrota inesperada, para um pavilhão bem composto, mas que não põe em causa o valor da equipa (com bom exemplo da melhor pontuadora do jogo, com 16 pontos, a jovem Raquel Maia, que fez mais um bom jogo), nem sequer os objectivos que se mantêm perfeitamente ao alcance.

Na terceira jornada a formação vimaranense desloca-se ao reduto do Boavista (Domingo às 17h), com o mesmo espírito de querer vencer que caracteriza este clube.

  Categories: