VITÓRIA – sc braga (Antevisão)

Questão Técnico-Tática

Contagem decrescente para o derby de todas as emoções no Minho, o sempre tão ansiado Vitória-vs-Braga joga-se este Sábado no Estádio do Rei. Espera-se um grande espectáculo dentro das 4 linhas, e nas bancadas o ambiente esse promete ser infernal no apoio aos “branquinhos”. Esta é daquelas partidas que vale muito mais que três pontos, pois triunfar no jogo do derby é sempre altamente moralizador para a equipa e para os ímpares adeptos vitorianos.
À passagem da 10ª-jornada, o Vitória leva vantagem na tabela classificativa contabilizando 18 pontos contra 14 da formação bracarense. Na última jornada o Vitória conquistou um triunfo verdadeiramente espectacular em Alvalade por 2-3, já os arsenalistas foram derrotados pelo mesmo resultado no seu próprio reduto ante o Beira-Mar.
Para este intenso duelo e após 65 minutos que não foram bem conseguidos em Alvalade, Manuel Machado terá mais uma vez visualizado que é mesmo necessário alterar a zona intermediária, pois Edson Sitta efetuou novamente uma exibição paupérrima (muito lento nas transições, e pouco discernimento na entrega da bola). João Alves que entrou no reatamento da 2ª-parte em Alvalade, veio dar maior combatividade e precisão no passe, o que permitiu ao Vitória rápidas transições, exemplo disso foram o primeiro e terceiro golos onde o médio “transmontano” teve participação directa. Após dois jogos no banco João Alves deverá regressar a titularidade pois parece-me a melhor solução para fazer parelha com Clebér, pois assim a equipa ganhará maior objectividade e clarividência na zona central do terreno. Também e em comparação ao último jogo foi notório o mau momento de Toscano, que mostrou-se muito apático e pouco esclarecido, não dando virtuosismo ao jogo vitoriano. Para o derby é necessário, a meu ver, outra opção e existem duas soluções plausíveis para ocupar o lugar do brasileiro. A primeira e mais natural (parecendo-me a mais benéfica para a equipa) passa pela entrada no onze de Rui Miguel, (entrou muito bem no jogo de Alvalade) que com a sua técnica apurada e boa meia distância poderá equilibrar o meio-campo vitoriano. A segunda opção, poderá passar pela entrada de Targino que após o super-jogo em Alvalade poderá entrar para uma das alas, passando João Ribeiro para a posição 10. Com esta alteração a equipa ganhará mais velocidade e largura na frente de ataque.
No que diz respeito ao resto da equipa parece-me pertinente ser a mesma que jogou inicialmente em Alvalade. O sistema tàtico deverá ser o 1-4-2-3-1, com uma defesa segura, um meio campo prático e objetivo e uma frente de ataque com muita mobilidade. O onze poderia então ser o seguinte:
Adversário-Braga

A formação Bracarense chega ao Berço da Nação na 8ª- posição da Liga, um lugar bem aquém do que era esperado (para a critica principalmente). Para o jogo frente ao Vitória, Domingos Paciência deverá colocar a sua equipa a jogar no seu sistema preferencial o 1-4-2-3-1 e apostar fortemente naquilo que o Braga sabe fazer melhor que é contra-atacar rápido e bem. Na baliza jogará o brasileiro Felipe um guarda-redes que tanto faz defesas de grande qualidade, como logo a seguir fica mal na “fotografia”. No quarteto defensivo e não podendo contar com Sílvio, a aposta para jogar na direita da defensiva deve passar por Miguel Garcia um lateral lento e muito quezilento, (João Ribeiro ou Targino poderão desequilibrar no um-para-um). A dupla de centrais será constituída por Moisés e Rodriguez, dois defesas muito fortes no jogo aéreo com bom sentido posicional e que dobram muito bem os laterais. A melhor solução para ultrapassa-los, passa pelas diagonais que por exemplo, Maranhão possa fazer para o centro do ataque, pois com a velocidade do brasileiro os centrais bracarenses terão bastantes dificuldades em “segura-lo”. Na esquerda, jogará o nigeriano Elderson, um lateral com bastantes carências defensivas, pois ocupa mal os espaços defensivos, quando se depara com um alá rápido e tecnicista sente muitas dificuldades. Em frente à defesa jogará um duplo-pivot no caso os brasileiros Vandinho e Salino.Vandinho equilibra a equipa defensivamente, já Salino é o médio que começa a fazer a transição defesa-ataque. Luís Aguiar assumirá o papel de número 10, pois o médio uruguaio tem boa visão de jogo e é forte no último passe, acrescente-se ainda o facto de ser um exímio executante de lances de bolas paradas (bate muito bem com ambos os pés).
Na frente jogarão, Alan pela direita onde o brasileiro é forte no um-para-um e é sempre imaginativo na forma como procura os espaços no último terço do terreno, na esquerda jogará o brasileiro Matheus jogador muito irrequieto e que imprime muita velocidade ao jogo bracarense (Alex terá que ter muita atenção ao brasileiro.)
A referência na área será o também brasileiro Lima um avançado muito móvel, também bastante veloz e que tenta muitas vezes o seu forte remate de meia distância.
Jogando em casa, e contando com o apoio infernal dos Vitorianos existem todas as condições para deixar o adversário a 7 pontos do Vitória. Do primeiro ao último minuto, será necessário o forte apoio das gentes vitorianas, de forma a levar de vencida os de lá da Morreira.
Força Vitória e Vitória Sempre!
José Lafuente.
  Categories: