Vitória-Setúbal (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

Após a frustrante eliminação da Taça de Portugal nas Aves, a Liga está de regresso, e esta 2ª feira no Estádio do Rei, há um duelo de Vitórias.

Na partida diante do homónimo de Setúbal (conseguiu 4 empates nos últimos 4 jogos em Guimarães), só o triunfo interessa aos Branquinhos, que agora para chegar à Liga Europa, tem apenas a Liga como forma de atingir esse desiderato.

No jogo ante os Sadinos, e em comparação ao jogo das Aves (exibição sem garra, sem inspiração, e um futebol de má qualidade), parece pertinente, que haja alterações no sistema tático (a equipa em losango, sente muitas dificuldades para “esticar” o jogo, e o meio-campo com 3 unidades de cariz defensivo, tem pouca acutilância ofensiva, nesse contexto voltar ao 1x4x2x3x1, é a melhor solução para a equipa) e também no 11 inicial.

No quarteto defensivo, não são esperadas alterações por parte de Rui Vitória, que seguramente continuará a apostar na defesa que vem apresentando nas últimas partidas.

Já na zona intermediária, o regresso de Adoua (jogando como médio defensivo, é útil à equipa), em detrimento de Olímpio (é abissal, a diferença do mesmo jogador em Paços de Ferreira, e no Vitória), será uma das alterações na formação inicial.

Também João Alves (já lhe falta frescura física, e dá pouca profundidade no corredor direito do losango, que vem sendo utilizado por Rui Vitória) deve sair do 11, entrando para o seu lugar o extremo Paulo Sérgio, uma alteração que traria mais vocação ofensiva à equipa, e poderia trazer mais velocidade e irrequietismo às alas.

Jogando com Toscano (continua a ser um jogador muito inconstante) e Paulo Sérgio, bem abertos nas faixas, o jogo do Vitória, pode ganhar amplitude ofensiva, e outra capacidade de desequilíbrios no último terço do terreno. Foi gritante, no jogo das Aves, ver a falta de extremos, que pudessem ir à linha de fundo, fazer bons cruzamentos para a área adversária. Nesse contexto, é primordial, jogar com extremos, que possam desequilibrar nos corredores, e servir da melhor forma, o avançado Edgar, que trabalha muito em prol da Equipa, mas que está muitas vezes, longe da baliza contrária.

É necessário, que o Vitória, continue para a Liga, no trilho dos triunfos, e que consiga realizar melhores exibições, de forma a que os Vitorianos, possam de uma vez por todas, acreditar nesta Equipa.

Adversário

O Setúbal, chega à Cidade-Berço, com mais 1 ponto que o Vitória. Nos jogos realizados fora de portas, os Sadinos, o melhor que conseguiram foi um empate em Olhão a 2 golos, somando por derrotas (no Dragão, nos Barreiros, e em Leiria), os restantes jogos realizados fora.

A nível tático, a formação orientada por Bruno Ribeiro, varia de um sistema assente num 1x4x3x3 (jogando Jorge Gonçalves na frente com Pitbull e João Silva) ou num 1x4x4x2 (com Pitbull, a deambular na frente de ataque). No Estádio do Rei, é provável que Bruno Ribeiro, aposte no 1x4x4x2, reforçando o meio-campo (a zona mais débil da equipa, pois os seus médios tem boa capacidade de passe, mas tem pouca agressividade na luta pela bola, não havendo um trinco puro no plantel) e apostando no contra-ataque.

No que diz respeito ao seu 11 tipo, na baliza joga Diego (um dos melhores guarda-redes da Liga).

Na direita da defesa, joga o brasileiro Ney (lateral experiente, raçudo, com propensão ofensiva, mas frágil em tarefas defensivas, factor preponderante num lateral).

No eixo da defesa, jogam Ricardo Silva (aos 36 anos, continua a ser o patrão da defesa, compensando com o forte jogo aéreo e marcação, a nítida falta de velocidade que evidencia) e Anderson (defesa forte no jogo aéreo, mas duro de rins e muito lento).

No lado canhoto da defesa, joga o experiente Miguelito (sempre foi um lateral muito ofensivo, mas com deficiências a nível defensivo, dando muitos espaços nas costas, e fechando mal a zona central)).

No meio-campo, e em frente à defesa, jogará Bruno Amaro (sente muitas dificuldades a jogar como médio defensivo, pois é pouco agressivo na luta pela bola).

Ainda no miolo do terreno, como médios interiores, jogam os experientes Hugo Leal (boa capacidade de passe, e leitura de jogo), e Zé Pedro (o canhoto, é forte na meia distância, e nas bolas paradas).

Como médio organizador, jogará ou Neca (forte no último passe), ou Bruno Gallo (canhoto com boa capacidade técnica).

Na frente de ataque, jogarão Cláudio Pitbull (impõe os ritmos de jogos da equipa, e com a sua capacidade técnica, é sempre um jogador muito perigoso no último terço do terreno).

A referência na área, será João Silva (avançado possante, e que dá muito trabalho aos defesas).

Com o apoio dos Vitorianos, derrotar os Sadinos, será muito mais fácil, por isso, todos ao Estádio do Rei, apoiar os Branquinhos, a conquistar mais 3 preciosos pontos, que permitirão subir mais uns degraus na tabela classificativa!

Força Vitória e Vitória Sempre!

  Categories: