Vitória – V.Setúbal (Antevisão)

A Liga está de regresso 3 semanas depois, e traz logo um duelo de Vitórias, com o da Cidade Berço, a medir forças com o homónimo do Sado.

Após o triunfo em Coimbra, e a goleada na Taça de Portugal, os Branquinhos querem continuar na senda dos bons resultados, e Conquistar mais 3 importantes pontos na Liga, o que lhe podem permitir entrar no Top 5 da Classificação.

Ainda assim, terão pela frente um adversário sempre incómodo, e que tem no seu Treinador uma espécie de “talismã”, pois José Mota, apenas perdeu uma vez no Estádio do Rei (ao serviço do Leixões em 2008), mas que como Técnico do Paços de Ferreira, ganhou em (2002 e 2006, e empatou em 2001,2002 e 2007).

No total de confrontos, em 56 Jogos realizados na Cidade-Berço para a Liga, os Conquistadores venceram por 34 vezes, empatou por 13 vezes, e perdeu por 9 ocasiões (a última das quais à 25 anos).

A arbitragem, terá a cargo do Portuense Hugo Pacheco, que há 1 mês atrás, prejudicou largamente a nível disciplinar a Equipa B do Vitória frente ao F.C.Porto B.

Espera-se que desta vez faça uma melhor atuação a dirigir um encontro do Vitória Sport Club.

Nas Bancadas do Estádio do Rei, é esperada uma casa a rondar os 13 mil espetadores, e um forte apoio ao nosso Vitória, que quer vencer pela 1ª vez no seu reduto para a Liga, e dar essa “prenda” a nos Vitorianos, que merecemos muitos Triunfos pela dedicação e paixão que sempre “empregamos” ao nosso Clube.

Esta 6ª feira frente aos Sadinos, Rui Vitória, apenas fará uma alteração no 11 em comparação ao Jogo da Taça de Portugal, saindo Delac e voltando Douglas à baliza.

Quanto ao restante da Equipa, manter-se-á igual, com destaque para a permanência de Alex no lado direito da defesa, com o Capitão a trazer mais qualidade no cruzamento e dando mais profundidade no corredor direito, situação que João Gonçalves não vinha dando neste corredor.

Ainda no setor defensivo, Addy tem dado muita profundidade no seu flanco (é importante que o continue a fazer), mas a nível defensivo, precisa de ser mais rápido a recuperar a sua posição, pois os adversários, apostam muito nos passes para as costas do ganês.

No meio campo defensivo, Leonel Olímpio vai continuar como titular, fazendo novamente um duplo pivô com El Adoua, que está num excelente momento de forma. Com Olímpio a zona intermediária, fica mais “agressiva” e com mais “músculo”, mas a nível do passe, fica a perder em relação a André André (pode ser importante no desenrolar da partida, com a sua qualidade de passe, visão de jogo e meia distância).
Porém, e como a Equipa tem ganho, e jogando um bom futebol a espaços, Rui Vitória irá manterá mesma zona intermediária nesta partida.

Na posição 10, Marcelo Aparecido Toscano, “reapareceu” em grande nível, fazendo 2 golos e 2 assistências para golo, mostrando estar em melhor forma física, procurando ter mais bola, criando linhas de passe para os companheiros da frente, e surgindo também bem de trás na área, de forma a finalizar em golo as oportunidades que dispõem. O brasileiro, tem então que manter a mesma bitola exibicional, pois assim a Equipa só sai a ganhar com isso.

Nas alas, Ricardo (pode procurar mais as diagonais, como fez no último Domingo) e João Ribeiro, tem desequilibrado no 1×1 e dando largura e profundidade nos corredores, situação que se espera que mantenham na partida frente aos Sadinos.

Na aréa, Soudani tem estado em excelente plano, e a sua mobilidade na frente de ataque, arrasta marcações (caiu muito bem nos corredores frente ao Vilaverdense), que podem ser bem aproveitadas por Toscano e por Ricardo, como se constatou na última partida.

Nota-se claramente, que o rendimento da Equipa está a subir, situação que traz ainda mais confiança ao grupo de trabalho.

Falta é agora saber, se os Branquinhos vão manter a mesma dinâmica e consistência frente a um adversário com mais poder e qualidade.

Ainda assim, e entrando forte na partida, trocando bem a bola, e incutindo velocidade ao seu Jogo (como fez nos primeiros 25 minutos da Taça de Portugal), o Vitória tem todas as condições de levar de vencida o seu opositor.

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

Sistema Tático
O Vitória de Setúbal de José Mota (as suas Equipas são muito aguerridas), joga numa variante tática assente num 1x4x3x3, sendo que nos jogos fora de portas (ainda não perdeu, conseguindo 3 empates), dá a iniciativa de jogo ao adversário, e joga num bloco-baixo, tentando depois sair em transição rápida, apostando sobretudo na velocidade e repentismo de Cristiano e Pedro Santos.
No Estádio do Rei, a Equipa Sadina, vai tentar sobretudo defender bem, e depois numa transição ou bola parada, fazer um golo, tentando levar pontos para o Sado, e conseguindo manter-se estável na tabela classificativa.

Pontos Fortes
* No setor defensivo, Pedro Queiróz é um lateral direito que a nível defensivo tenta defender bem. A dupla de centrais constituída por Jorge Luíz e Miguel Lourenço é forte no jogo aéreo, e na esquerda Nélson Pedroso, é forte no cruzamento, pois cruza forte e tenso.
* Na zona intermediária, Bruno Amaro (não é um 10), mas tenta pautar o jogo, e tem um forte remate de meia distância. Já Paulo Tavares, é um médio de qualidade, sendo um jogador com boa qualidade de passe, e muito voluntarioso.
* Nas alas, Cristiano (tem boa capacidade técnica e cruza bem) e Pedro Santos (é veloz e tem uma técnica refinada), podem causar problemas nas faixas.
* Meyong continua aos 32 anos, a ser um perigo na área, pois surge bem no espaço vazio, e joga muito bem de costas para a baliza.

Pontos Fracos
* Jorge Luiz é um defesa lento, “duro de rins”, e tem muitas dificuldades com as bolas longas nas suas costas. Já Miguel Lourenço, fruto dos seus 20 anos, ainda é um defesa inexperiente,
cometendo alguns erros, sobretudo no posicionamento e na antecipação.
* Nas laterais, sobretudo Pedro Queirós, tem complicações quando se depara com extremos rápidos e tecnicistas, e quando lhe são colocados passes de ruptura nas suas costas, pois não é um lateral veloz.
* Ney Santos joga como médio defensivo, e é um Jogador que não tem rotinas nessa posição (já joga na posição 6 há meio ano, mas não tem qualidade para jogar ali), e é muito agressivo, neste contexto, Toscano tem que arrastar marcações, de que será alvo por parte do compatriota, tentando também amarelar cedo o jogador Sadino, que ficará depois condicionado no restante do desafio.
* Nas bolas paradas defensivas, o Setúbal tem dificuldades no atacar da bola ao 1º poste, sendo pouco audaz e agressiva neste situação de jogo.

  Categories: