Vitória VS Académica (Antevisão)

simbolos antevisão

O Vitória recebe esta 2ª feira a Académica no Estádio do Rei, em partida referente à 21ª Jornada da Liga.

Depois do desaire da passada jornada, os Conquistadores vão à procura dos 3 pontos na partida desta 2ª feira, o que lhe possibilitará garantir mais 3 preciosos pontos e ficar a apenas 2 pontos do 5º lugar da tabela classificativa.

Pela frente, o Vitória terá um obstáculo difícil de ultrapassar, até porque a Académica, venceu nas duas últimas deslocações ao Estádio do Rei, situação que deixa em aviso as dificuldades que os branquinhos vão encontrar.

No total de confrontos entre o Vitória e a Académica para a Liga, disputaram-se 49 jogos na Cidade-Berço, com o Vitória a vencer em 31 ocasiões, o empate a registar-se por 8 vezes, e a Académica a conseguir levar o triunfo para Coimbra em 10 ocasiões.

A partida será dirigida pelo árbitro Vasco Santos, que vai dirigir pela primeira vez um jogo onde o Vitória estará presente.

Nas Bancadas, apesar de o horário ser péssimo (um jogo a um dia da semana, ás 18h.15m é um mau incentivo para levar muitos adeptos aos recintos desportivos), é esperada uma boa casa no Estádio do Rei, com a Equipa do Vitória a sentir mais uma vez o forte apoio dos Vitorianos ao longo de todo o desafio.

Análise Técnico – Tática

Para o jogo com a Académica, Rui Vitória relativamente ao último jogo, deve efetuar três alterações no 11 inicial.

Assim no quarteto defensivo, com a baixa por lesão de Addy, o jovem Luís Rocha será o eleito para suprir a ausência do ganês.

Sem Addy, o flanco esquerdo perde profundidade, ainda assim, Luís Rocha já mostrou quando foi chamado num jogo com o Rio Ave, que pode fazer uma boa partida. É importante que a nível defensivo seja eficiente, e quando tiver oportunidade de se incorporar nas acções ofensivas, deve faze-lo, ainda que o mais importante seja a eficiência defensiva, tal como apresentou quando foi chamado a jogar em Vila do Conde.

No restante do setor, Kanú ( tem que tentar mais combinações com o Ricardo, e ir à linha de fundo, fazendo assim também mais cruzamentos para a área) vai continuar à direita, e Paulo Oliveira e El Adoua a formarem novamente a dupla de centrais, ainda que seja necessária uma melhor assimilação a nível do funcionamento da defesa em linha, pois é precisa uma melhoria deste detalhe do processo defensivo da Equipa.

Na zona intermediária, o capitão Leonel Olímpio vai voltar à titularidade, um regresso que se saúda, pois com o brasileiro o miolo do terreno fica mais compacto, e com maior agressividade, fazendo desta forma com que sejam recuperadas mais bolas ao adversário.

Ainda no meio-campo, Barrientos (é importante que não se “esconda” do jogo, situação que tem acontecido com frequência nas últimas partidas) também deve regressar à titularidade, faltando saber se será André, ou Tiago Rodrigues a ser o sacrificado.

A opção deve recair em André (fez uma boa exibição no derbi, sendo o médio que mais tentou colocar a bola junto ao relvado,e que melhor transportou a bola para o ataque) continuando Tiago Rodrigues ( tem falhado passes, que tem penalizado a Equipa nas saídas para o ataque, nesta particularidade tem que ter melhorar no critério de entrega de bola, e ser mais célere a decidir o que vai fazer) como titular.

Na frente de ataque, há uma dúvida, que só deve ser desfeita já perto da hora do jogo, que é se Rui Vitória vai apostar de início na dupla constituída por Soudani (descaído para a faixa esquerda) e Baldé, ou se continua a apostar de início em jogar com dois alas (Ricardo e Marco Matias), e Soudani a continuar como a referência na área.

É provável que de início  o Técnico Vitoriano, continue a utilizar Marco Matias num dos corredores, até porque com a titularidade de Luís Rocha, será importante o auxílio de um dos extremos, ajudando em tarefas defensivas o lateral do Vitória, até porque no seu corredor direito a Académica conta com dois jogadores muito velozes, casos de Rodrigo Gallo e Marinho, e com Marco Matias nesta faixa o Vitória mantém a sua organização, o que com Soudani a jogar de início pode não acontecer, pois o argelino nas transições defensivas, pode desguarnecer o corredor esquerdo, pois não é um jogador de descer no terreno e acompanhar as subidas do lateral adversário, o que numa primeira fase da partida pode ser contraproducente.

Para a partida desta 2ª feira, será portanto melhor, apostar inicialmente no trio que tem jogado nas últimas rondas, ficando Baldé de início no banco, podendo ser no desenrolar da partida, quando os defesas contrários já estiverem fatigados, uma opção que pode trazer benefícios à Equipa, pois já mostrou que combina bem com o Soudani (a jogada do 2º golo do Vitória na última partida é fantástica, e mostrou que esta dupla pode fazer funcionar muito bem).

O 11 deve então ser o seguinte:

11

 Força Vitória!

Adversário

A Académica tem feito um campeonato, que tem defraudado um pouco as expetativas, pois conta no seu plantel com boas individualidades (jogadores como Ricardo, Galo, Makelele, Wilson Eduardo, Ogu,Marinho, Edinho e Cissé, são atletas de boa qualidade).

Os “estudantes” fora de portas, apenas venceram uma vez, no caso na Madeira ante o Marítimo por 0-2.

Pedro Emanuel (é um Treinador que gosta quase sempre de jogar o jogo pelo jogo, o que é bom para o espetáculo) no desafio desta 2ª feira, vai apostar no habitual 1x4x3x3, ainda que com alterações na Equipa inicial, fazendo alinhar no meio-campo, Keita no lugar de Bruno China, e Marcos Paulo no lugar de Cleyton, colocando em jogo um miolo de terreno mais musculado, e menos tecnicista, dando numa primeira fase a iniciativa de jogo ao Vitória,e apostando nas rápidas transições, pois conta com extremos velozes e tecnicistas, como são os casos de Wilson Eduardo (é forte nas diagonais) e Marinho (é um ala mais vertical), contando na frente com Edinho um avançado com grande poder de choque, e que ganha muitas bolas de cabeça, sabendo também temporizar o jogo ofensivo da Equipa.

 O Vitória deve explorar as fragilidades defensivas da Académica, pois Rodrigo Galo a nível defensivo defende mal (dá muitos espaços nas costas, ainda no último jogo frente ao Marítimo foi por demais evidente), e Halliche e Reiner, são dois centrais muito lentos, e com fraco jogo de cintura, o que faz abrir muitas brechas no setor mais recuado da Equipa de Pedro Emanuel.

A meio-campo o Vitória tem que dar intensidade ao seu jogo, e fazer uma boa pressão ao meio-campo adversário,  tentando também arrastar marcações por parte do trio de médios defensivos, que o Treinador da Académica vai utilizar de início.

Quanto a precauções, será importante muita atenção às bolas paradas ofensivas ( o Vitória tem cometido muitos erros que tem custado muito caro, e é necessária uma alteração neste detalhe, passando a defender à zona e não ao homem, assim sendo na marcação á zona é fulcral uma forte agressividade coletiva, com todos os jogadores a atacar com convicção e firmeza a bola, ao invés da passividade que o Vitória tem demonstrado nas últimas rondas onde sofreu 5 golos através de bolas paradas,um número muito preocupante e negativo ), pois jogadores como Halliche, Reiner, Keita e Edinho são todos eles poderosos no jogo aéreo.