Vitória…

Simplesmente uma palavra traduz o sentimento comum que nos une… uma palavra que se transmuta num amor e num desejo…o amor pelo Vitória, em letra maiúscula, e o desejo pela vitória, que apesar de se redigir em minúsculas, amanhã pode ser a mais bela da história de oitenta e nove anos!

E já tivemos tão grandes equipas e tão grandes jogadores… e nada ganharam! Os mais velhos lembrar-se-ão, saudosamente, de Caiçara, Djalma, Edmur, Jeremias, Cascavel, Ademir e tantos outros que a ouro debruaram as páginas das memórias sem nada vencerem… Os mais novos, por sua vez, enumerarão Paneira, Paulo Bento, Luiz Mário, Geromel e outros que, apesar de em inolvidáveis serenatas nos inebriarem, jamais ousaram beber do troféu o doce néctar dos vitoriosos…

Pois bem, amanhã é a vossa vez de tentarem tocar o Olimpo dos vitorianos… é a tua vez, Nilson…é a tua vez, Alex…é a tua vez, João Paulo…é a tua vez, Anderson…é a tua vez, Cléber…é a tua vez, Renan…é a tua vez, Jorge Ribeiro…é a tua vez, Faouzi…é a tua vez, Toscano…é a tua vez, Targino… é a tua vez, Douglas…é a tua vez, N’Diaye…é a tua vez, Flávio… é a tua vez, Edgar… é a tua vez, João Ribeiro…é a tua vez, Edgar… é a tua vez, João Alves…é a tua vez, Bruno Teles… é a tua vez, Manuel Machado…é a vez de todos vós…

E digo-vos, sintam-se orgulhosos da oportunidade que amanhã vos espera… sintam-se orgulhosos dos milhares que abandonarão a cidade primogénita de Portugal, para vos acompanhar na mais importante de todas as batalhas e que não vos deixarão, jamais, esmorecer… como fiéis escudeiros, não enjeitaremos esforços para vos ver ganhar!

Mas, a vós cabe a parte mais importante… a parte de tornar o nosso sonho realidade… e nós acreditamos em vocês… cegamente e piamente! Acreditamos na vossa perseverança e espírito de conquistador, não fosse esse
o cognome do Rei que trazeis junto ao peito… e digo-vos, também, ele antes de entrar na história enfrentou dificuldades como inimigos teoricamente mais fortes, condições adversas, mas sempre com ânimo dobrou as dificuldades.

E é esse o desejo… que no vosso espírito consigais sentir essa centelha de abnegação que distingue os vitoriosos dos derrotados…os fortes dos fracos…os que almejarão um lugar na história dos que nem merecem uma nota de rodapé…

Todos sabemos, porém, que não se avizinha empreitada fácil…que o adversário alardeia uma soberba própria dos convictos no sucesso… Mas, se é assim porque desde meninos ouvimos a parábola de David e Golias ? Porque Gulliver foi agrilhoado pelos Lilliputianos? Porque D. Nuno Álvares Pereira, conseguiu em inferioridade numérica, derrotar o inimigo Ibérico?

Acreditem em vocês… lutem, como as vossas e nossas vidas estivessem naquele lance, aparentemente, inofensivo…naquele hipotético lançamento de linha lateral… naquele alívio pultativamente inofensivo e de perigo nulo… Jamais cedam nos vosso propósitos…

E refiro-vos… amanhã o orgulho e a alegria de uma cidade estará nas vossas mãos e vosso desempenho… a responsabilidade de a nossa cidade acorda de modo diferente na Segunda-feira é vossa… mas, também, não serão só deveres…esperar-vos-à o eterno reconhecimento de ter tornado este clube, ainda, mais especial… ainda, mais glorioso…e vencedor!

Acordem o monstro… tornem o clube, ainda, maior…façam-se inesquecíveis com a palavra mágica que é a vitória…honrem os vossos antecessores..e homenageiem com o vosso suor os vitorianos que recentemente e precocemente desapareceram…lembrem-se de Jesus, o último capitão a pisar a relva do Jamor, de Custódio Garcia, que no céu deve ter sido o primeiro a garantir o ingresso para o regresso ao estádio que tanto sonhava rever, de Ernesto Paraíso, que no mesmo sítio deverá estar a inspirar os nossos dianteiros, de modo a saberem levar a menina a beijar a malha do guardião rival!

Contamos convosco…não nos desapontem…que, nós, certamente, nosso apoio, não vos desiludiremos!